Noiva BH por Rose Quadros

Vinho, Espumante ou Champanhe?

25/11/2010

Oi gente!! Que saudade!! Desculpem o sumiço, mas estava no final do semestre da faculdade. Muitas provas, trabalhos, além das coisas do trabalho mesmo que acumulou muito nos últimos dias. Mas estou de volta e prometo espero não ficar tanto tempo sem aparecer.

 

Um amigo sempre fala: “Pra festa ser um sucesso tem que ter música boa, comida boa e bebida boa!”
Concordo muito e por isso hoje vou falar da “bebida boa”! Como decidir se devemos servir vinho, espumante ou champanhe no casamento? Pra começar, é bom saber do que se trata cada um deles não é? Então vamos lá!

 

Todos os vinhos, sendo tranquilos, espumantes, frisantes, aromatizados ou fortificados, são sumo de uva fermentado. Eles podem ser tintos, brancos ou rosados, e de tipo seco, médio ou doce, com teor alcóolico de 5,5 a 14%. O extrato de uva é adicionado ao vinho fortificado, aumentando assim o volume alcóolico para 15 a 22%.

 

 

Os chamados vinhos tranquilos são aqueles que não contém gás. Podem ser brancos, tintos ou rosados. Os vinhos brancos são obtidos das uvas brancas ou tintas desde que as cascas dessas últimas não entrem em contato com o mosto (sumo da uva) durante o processo.

 

Os vinhos tintos são elaborados (um enólogo nunca fala “fabricado”… aquelas que manjam muito de vinho!) através das uvas tintas ou tintureiras (uvas que tem sua polpa pigmentada). Já os vinhos rosados podem ser obtidos de duas maneiras: misturando o vinho tinto com o branco ou diminuindo o tempo de maceração (tempo de contato do mosto com a casca) durante a vinificação do vinho tinto (tô falando bonito demais hoje).

 

 

O vinho frisante possui um pouco de gaseificação, que pode ser tanto obtida pela fermentação ou adicionada depois que pronto. Possui entre 7 e 14% de teor alcóolico. O método de obtenção das bolhas, natural ou artificial, deve ser especificado no rótulo.

 

Espumante é um vinho que tem nível significativo de dióxido de carbono, fazendo-o borbulhar quando servido. O dióxido de carbono resulta de uma segunta fermentação alcóolica do vinho, seja ela feita dentro da garrafa (método champenoise) ou fora dela (método Charmat).

 

O champanhe nada mais é, pelo o que entendi, do que o vinho espumante fabricado na região de Champagne na França.
Agora sabendo o que é cada coisa, podemos decidir entre as váááárias opções no mercado de cada um deles.

 

O tipo de vinho servido deve acompanhar o estilo de casamento e o que será servido. Lembre-se que vinhos tintos não combinam com peixes e crustáceos, enquanto o vinho branco “briga” com carnes vermelhas. Para não errar de jeito nenhum, vá de espumante ou vinho frisante suave que super combina com salgadinhos e bolo de casamento.

 

Eu sou muito fã de espumantes (geralmente são mais docinhos), acabo sempre comprando deles e meus favoritos são:

 

 

Lambrusco: vinho frisante, doce italiano, produzido na região da Emilia Romagna.

 

Chandon

 

Salton.

 

Almadén Sunny Days: vinho frisante.

 

Champagne Veuve Clicquot: dispensa apresentações.

 

Eu confesso que não entendo muita coisa de vinho. Minha sugestão: peça a opinião do pessoal do buffet e do cerimonial, (até mesmo pra saber quantidade e tal), compre um de cada e experimente com o noivo antes do casamento (não precisa beber todos numa noite só, tá?).
 

Um bom local para comprar as bebidas de sua festa é a Menimport. Eles tem um vasto catálogo de bebidas e permitem a degustação para que você não erre no que vai servir!
 

Espero que tenha sido um bom post de retorno a blogosfera! Rs!
 

Beijos!

Compartilhe:

Escrito por: Mariana Reis
Topo