Noiva BH por Rose Quadros

Vai ter festa? Acho que não!

01/10/2012

Olá pessoal, tudo bem?

Hoje vamos conversar sobre um assunto que incomoda muitos casais.

A maioria dos casais que acalentam o sonho do casamento não o fazem sem imaginar que a cerimônia será seguida de uma bela recepção. A marcha, o véu, as alianças, a benção. Sim, tudo isso é planejado com requinte de detalhes.

Entretanto a entrada triunfal, a primeira dança, o corte do bolo, o brinde, os convidados, esses ítens costumam tomar grande parte do imaginário das noivas, e também são os que podem gerar maiores problemas durante os preparativos e decepções após o enlace.

Recebo com frequência e-mails e ligações de noivas angustiadas perguntando quanto custa fazer uma festa hoje, questionando como farão para comunicar aos convidados que não haverá recepção e qual a melhor forma de lidar com a frustração alheia e com os comentários maliciosos dos que recebem “a notícia”. “ Não vai ter festa? Ah, então não vou não!” “Como assim casamento sem festa? E lá eu vou me arrumar toda, investir em roupa, sapato, maquiagem para ir à igreja?”. “Casar na igreja pra que se não vai ter festa? Casa só no civil mesmo!”

Comentários indelicados? Certamente. Mas é de domínio público que não se pode contar com o bom senso alheio nem mesmo em momentos tão especiais como esse. Não se surpreenda se ouvir tais palavras de pessoas próximas e até mesmo das convidadas para apadrinhar a união, e saiba que tais comentários não são exclusividade das noivas que não fazem festa. Todos nós já ouvimos coisas do tipo: “vai gastar isso tudo em festa? Faz uma viagem!” “Nossa, não passou garçom na minha mesa!”, dentre outras pérolas.

O que fazer então? Se endividar até o pescoço e promover a festança? Comprar apenas cama, chuveiro, geladeira e fogão para garantir um evento a altura das expectativas dos seus convidados? Hum… se você cogita alguma dessas opções, das duas uma: ou você SEMPRE teve o sonho de ter uma grande festa de casamento e acha que vale abrir mão de outras coisas por ele, o que eu compreendo e respeito apesar de pensar diferente, ou você precisa reavaliar o valor e o sentido que você atribui à sua união.

Se oferecer uma festa de arromba sempre foi seu sonho e você realmente acredita que vale tudo para realizá-lo pois se casará somente uma vez, sugiro que ao menos estabeleça um limite de gastos e calcule os parcelamentos de acordo com seus rendimentos mensais. Mas lembre-se: diferente de um apartamento ou de um carro, que ao final do financiamento você adquiriu um bem e que poderá dispor dele no futuro, a festa dura apenas algumas horas e você poderá passar bons meses e até anos pagando por ela.

Mas se recepção está realmente fora de questão e você sofre com isso, tentemos ver a situação por um outro prisma. O matrimônio em si já é um presente. É ele o prato principal! A recepção é apenas o cafezinho após um lauto jantar, ou seja, ela é o complemento!

Seja qual for a crença, o matrimônio é um ato de amor, de entrega e de sacrifício. Sim, de sacrifício, pois permanecer ao lado do cônjuge “na alegria e na tristeza, na saúde e na doença” é muitas vezes sacrificar a própria vontade em benefício de quem se ama.

Por isso o casamento é sagrado, não importando a religião na qual é realizado. Ele é caminho para a evolução e para a maturidade espiritual. Cristo se sacrificou por amor aos seus irmãos e a eles permaneceu fiel. Assim fazem também os esposos que se doam para construir uma vida familiar harmoniosa, exercitando diariamente a tolerância e o respeito, promovendo o bem na Terra.

O matrimônio é, portanto, uma vocação. Quando é verdadeiro, ele existe independente de recepções regadas a nobres comes e bebes. Os verdadeiros amigos dos noivos se sentirão honrados em testemunhar a celebração religiosa, ou até mesmo a civil, de um casal que se une com o objetivo de se amar e se dedicar um ao outro. Quem não se sente privilegiado quando pode compartilhar de momentos repletos de energias positivas e revigorantes?

A partir dali o que era duo se torna uno, e com dedicação e paciência será eterno. E para que seja assim os nubentes precisarão do auxílio e apoio dos amigos, por isso a grande importância em escolher bem os padrinhos e convidados para esse momento tão especial. Portanto, ao invés de se chatear com comentários, dizeres com duplo sentido e até mesmo fofocas, agradeça-os! Eles serão de extrema ajuda para escolher corretamente quem é merecedor do seu apreço e amizade.

Eu fiz uma surpresa para meu marido: cantei na cerimônia! Ele também havia preparado uma surpresa e escreveu um texto maravilhoso para mim… leu na cerimônia também! Todos se emocionaram!

Deixo aqui algumas dicas para tornar seu casamento religioso ou civil especial:

- Prepare surpresas para a cerimônia: um texto em homenagem ao cônjuge, uma música especial, a entrega das alianças feita por alguém que o casal ame muito, troca de presentes no altar são apenas algumas idéias para que sua cerimônia seja exclusiva e diferente. Isso também poderá ser feito no casamento civil, só depende do cartório e do juiz autorizarem.

- Se for casar apenas no civil, não abra mão do bouquet de flores, de trajes, cabelo e make especial para o dia, afinal é o seu casamento!

- Peça para que o celebrante solicite aos convidados que aguardem os noivos na saída para os cumprimentar.

- Chuva de arroz? Delícia!

- Ofereça bem casados ou bombons enquanto recebe os cumprimetos. Você mesma e seus familiares podem confecioná-los. Mimos home made são a última moda!

- Tire muitas, muitas fotos! Vale a pena sim investir uma graninha em um fotógrafo profissional para o grande dia!

- E lembre-se: você poderá fazer uma recepção mesmo após anos de casamento. Que tal uma festa para comemorar as bodas? Sempre há tempo para realizar sonhos!

Beijo grande!

Compartilhe:

Escrito por: Rose Quadros
Topo