Noiva BH por Rose Quadros

Vou Casar › Lua de Mel

Lua de mel: Bariloche

04/06/2012

Bariloche é cheia de romance. Oferece deslumbrantes paisagens e momentos inesquecíveis. Charmosa no inverno com a neve criando um clima apropriado para um romântico um fondue e inspiradora no verão com suas lindas flores.

Com arquitetura marcante, rodeada de colinas, montanhas cobertas com neves eternas, lagos e rios, Bariloche oferece todas as alternativas possíveis para o turismo convencional e de aventura, durante todo o ano. Seu comércio voltado para o turismo é principalmente de artigos de lã, couro e chocolates. Para os interessados em turismo de aventura, há opções de rafting, cavalgadas, parapente e ciclismo. Além das montanhas onde se pratica o esqui e “snowboard” (Cerros Catedral e Tronador), Bariloche oferece diversas opções de passeios.

Passeios

Cerro Bayo

Próprio para iniciantes, o centro de esqui de Villa La Angostura é menos íngreme e tem neve mais constante que Cerro Catedral. Há programas alternativos, inclusive no verão, como trekking, mountain bike e cavalgadas.

Cerro Campanário

Vista de montanhas nevadas, florestas de pinheiros, lagos e a Ilha Vitória. Subida de aerosilla, um tipo de teleférico de cadeira.

Circuito Chico

City tour básico pelos principais pontos da cidade. O passeio de meio dia muitas vezes já está incluído nos pacotes das operadoras brasileiras. – No Turismo Integral Patagônia.

Cerro Otto

Além da cafeteria giratória à qual se chega de teleférico, tem uma hilariante galeria de arte com réplicas de esculturas de Michelangelo, como o Davi e a Pietá. No centro Piedras Blancas, faz-se esqui nórdico, que deixa os pés livres, e passeia-se de trenós puxados por huskies siberianos.

Cerro Tronador

A mais alta montanha de neve eterna da cidade, com 3.555 metros. De vez em quando ouve-se o estrondo do desmoronamento de blocos de gelo (daí o seu nome). No inverno, o acesso pode estar fechado pela neve.

Isla Victoria e Bosque de Arrayanes

Passeio de catamarã pelo Lago Nahuel Huapi até Puerto Anchorena, perto do bosque.

Museo da Patagônia Francisco P. Moreno

Dá uma aula de história e geografia sobre o ecossistema.

Parque Nacional Nahuel Huapi

Bariloche está dentro dele. A pesca nos lagos só é liberada no verão e com licença. Passeios no Cerro Tronador e para as excursões lacustres de Isla Victoria e Puerto Bles são pagos.

Rafting

No Rio Manso, entre bosques, cânions e vales de formação glacial.

Travessia dos Lagos Andinos

De Puerto Pañuelo saem os barcos que fazem o cruzeiro até Puerto Montt ou Puerto Varas. O passeio de catamarã na Catedral Turismo sai às 8h45 de Puerto Pañuelo e chega a Puerto Montt às 19h. Para voltar, pegue um ônibus. No inverno, o passeio é de no mínimo dois dias (ida e volta).

Como ir

A maneira usual de chegar a Bariloche é de avião, chegando de Buenos Aires, ou nos vôos charters que partem do Rio de Janeiro e São Paulo. O vôo fretado tem a vantagem de ser direto. A hora do vôo também é importante: vôos de retorno na parte da manhã nos fazem perder aquele tempo precioso para as últimas compras. Caso o traslado não estiver incluído em sua viagem, o custo de um táxi do aeroporto para a cidade fica por aproximadamente US$15. Atenção com os preços, afinal você está tratando com taxistas. Também há transporte de ônibus para a cidade.

Quando ir

Para os casais que procuram o frio e pretendem esquiar, a melhor época para se visitar Bariloche é entre junho e setembro. O resto do ano está reservado para aqueles que curtem esportes radicais ou até mesmo uma praia de lago.

Documentos e vistos

Brasileiros não precisam de visto para estadias de até 90 dias em Bariloche. Para entrar no país, basta apresentar o passaporte ou RG.

Onde ficar

Bariloche oferece uma imensa rede hoteleira, composta por hotéis e chalés. As opções e os preços variam por conta da localização. Existem hotéis próximos ao Centro Cívico e ao Cassino, com vista para o Nahuel Huapi, outros com estilo montanhês. Bariloche também oferece opções de hospedagem na base da Cerro Catedral, para aqueles que quiserem esquiar.

O que comer

Bariloche apresenta uma vasta gama culinária. As opções vão desde fondues, trutas, cordeiros, além de carnes variadas cozidas sobre pedras quentes enterradas no solo, ao estilo dos povos indígenas chilenos e as melhores carnes selvagens da região e queijos curtidos em temperos.

Moeda

A moeda oficial na Argentina é o peso ou dólar. A troca de dinheiro pode ser feita em bancos ou casas de câmbio. Não é recomendável levar “Traveller’s Checks”, por ser difícil de efetuar a sua troca.

Idioma oficial

O espanhol é o idioma oficial da República Argentina.

Clima

Bariloche é famosa por seu inverno, mas está buscando mudar esta imagem, atraindo turistas o ano todo. De Janeiro a Março, a temperatura chega a 27ºC. Os dias são longos, tendo sol das 5h30 às 21h. De Abril a Junho, a temperatura cai, podendo chegar a zero grau e começar a chover. Em Junho já começa a neve no topo da montanha. De Julho a Agosto, altíssima temporada, os dias começam a ser mais curtos, da 9h às 18h. Há neve e muita folia. De Setembro a Outubro, início da primavera, a cidade fica mais tranqüila, mas ainda há neve. De Novembro a Dezembro é início do verão e começa a esquentar. A Festa da Neve acontece nos dias 15, 16 e 17 de Julho.

Compras

As maiorias dos produtos fabricados em Bariloche são resultadas de uma rica mistura entre as técnicas indígenas e as dos imigrantes europeus que contribuíram com experiência e organização comercial. Predominam os produtos feitos de cerâmica, metais, velas, doces, chocolates, pintura natural, cosméticos e tecidos. Além disso, o artesanato local está presente nos vilarejos. A Feira Artesanal Municipal acontece nas ruas Moreno e Villegas, diariamente. A Casa de Artesanato Mapuche, situada no mesmo local, traz ao visitante um pouco mais de sua história e cultura, onde é possível comprar artigos que lembrarão este lugar maravilhoso.

Toque romântico

O romantismo da cidade convida as pessoas a namorar, seja somente apreciando a visão que se tem, seja navegando pelo Lago Nahuel ou passeando pelo Parque Nacional Nahuel Huapi. As descobertas da cidade não param com suas belezas naturais. À mesa, você descobre uma atração à parte. A gastronomia da cidade é elaborada e muito saborosa; o chocolate, um dos melhores do mundo, e, para completar, num clima de lareiras e fondues, a receptividade de seus habitantes. As noites em Bariloche trazem o charme e o romantismo das noites iluminadas por velas, lareiras e luar, tornando a passagem pela cidade, inesquecível.

Fonte: viagemdeluademel.com

Compartilhe:

Escrito por: Mariana Reis
Topo