Noiva BH por Rose Quadros

Escolhendo o colchão certo

07/12/2012

Ao contrário do que muita gente pensa, comprar um novo colchão não é tarefa fácil. Eu fui muito cuidadosa com isso. Pesquisei todas as características do colchão que compraria para a minha nova casa porque sinto na pele todas as consequências que um colchão errado provoca. Entre elas estão: câimbras, cansaço, desvio de coluna, dores musculares, dores nas costas e região lombar, falta de concentração, hérnia de disco, insônia, irritabilidade, má circulação e formigamento.

Existem diversos tipos de colchão. Vamos ver as características de cada um para ajudar na escolha:

Espuma de poliuretano

É o tipo mais comum de colchão e o mais vendido, feito de espuma. Existe uma variedade enorme de altura e densidade, portanto, consulte a tabela dos fabricantes. É também o modelo mais barato, por isso, pode ser trocado com frequência. Deforma rapidamente.

Molas Bonnel

Possui molas entrelaçadas cobertas por uma fina camada de espuma. É mais indicado para solteiros porque, quando uma pessoa se mexe num canto do colchão, o outro lado balança. Durável e bem pesado, exige força e cuidado ao ser manuseado.

Molas ensacadas (Sistema Pocket)

Indicado para casais. Tem molas envolvidas uma a uma, garantindo conforto e durabilidade. Costuma levar em um dos lados uma camada de espuma chamada de pillow top. Trata-se de uma camada especial que proporciona conforto extra, mas impede que o colchão seja virado periodicamente.

Látex

Com material macio e muito durável, é um colchão bastante confortável, pois se adapta ao contorno do corpo. Bom para pessoas alérgicas, pois esse modelo costuma vir com tratamento contra fungos, ácaros e bactérias.

Viscoelástico

Tem tecnologia usada por astronautas e uma espuma que se molda ao corpo e não deforma, oferecendo boa sustentação à coluna. Suporta pessoas de qualquer peso e altura sem necessidade de se consultar a tabela. É claro que por toda essa tecnologia acabamos pagando mais caro…

Agora que já conhecemos os tipos de colchão disponíveis no mercado, o que devemos levar em consideração na hora de comprar?

Primeiro é importante levar em conta peso e altura. Consulte as tabelas dos fabricantes para escolher a densidade para cada corpo. No caso do colchão de casal, devemos considerar a densidade indicada para a pessoa mais pesada.

Para aqueles que se mexem muito, é melhor escolher estruturas mais firmes, que não saem do lugar. Nunca sinta vergonha de testar vários modelos antes de fechar a compra. Consulte um bom vendedor e fique alguns minutos deitada para ver se o colchão é bom mesmo! Para um colchão de casal, é importante que os dois estejam juntos na hora da decisão. Ambos tem que testar o colchão.

O colchão deve ser confortável, deixando a coluna alinhada e os músculos relaxados. Não pode ser nem mole nem duro demais. Colchão muito mole entorta a coluna e causa dor nas costas, enquanto o colchão duro pode provocar dores nos ombros, quadris e juntas, além de cansar a musculatura.

Parece bobagem, mas é necessário virar o colchão periodicamente. Isso prolonga a vida do seu colchão e evita que ele comece a formar buracos. Ele deve ser virado de duas formas: a face de cima para baixo e a parte dos pés para a cabeceira. Nunca deixe o colchão mais de três meses na mesma posição. O ideal é repetir esse procedimento uma vez por mês. O colchão deve ser trocado, em média, depois de oito anos de uso.

Agora é só seguir todas as dicas e ter uma ótima noite de sono!!

Compartilhe:

Escrito por: Mariana Reis
Topo