Noiva BH por Rose Quadros

Casamento em Punta Cana – Elaina e Fábio

20/12/2012

Ei gente, tudo bem?

A Elaina, leitora do blog, há algum tempo entrou em contato comigo para saber detalhes sobre a minha renovação de votos em Punta Cana (você pode ler sobre isso aquiaqui e aqui) Fiz questão de ajudá-la, afinal ela pediu ajuda ao Rose Quadros Cerimonial e além disso eu mesma já havia experienciado aquilo tudo, né gente?

Após o casório ela enviou um relato emocionante e recheado de fotos MARAVILHOSAS! Confiram!

“Sou paulista, adm. (29 anos), ele- Fábio- mineiro de BH, eng. civil (32). Nos conhecemos em setembro de 2012 em Campo Grande – trabalhávamos na mesma empresa porém em áreas diferentes, não nos víamos na empresa (inclusive, onde nos vimos a primeira vez foi num restaurante…rs).
O primeiro beijo aconteceu em 04 de outubro de 2012, em Brasília. Não tínhamos dúvidas. Cheguei a afirmar: “Ele é o homem da minha vida!”. (Depois descobri que eu também era a mulher da vida dele – modéstia a parte…rs… Inclusive a garota dos sonhos dele de adolescência).
Tenho um filho, hoje com 8 anos (Flávio). Aos dois anos ele perdeu o pai biológico num trágico acidente de carro a caminho do trabalho. O Fábio desde o início ofereceu à ele carinho, respeito, amor e zelo. Eles possuem uma relação linda, agradeço a Deus pelo privilégio de ter estes dois homens na minha vida… Ver a união, afetividade da relação deles, a admiração, tudo… É um grande presente, de valor inestimável.
Faltando apenas 30 dias para as férias, com destino em Punta Cana (República Dominicana), entrei na internet procurando “o que fazer em Punta Cana?”. Foi aí que descobri que realizavam casamentos lá, eram eles simbólicos, religiosos e até mesmo legais.
Já havíamos definido uma data para o casamento em 2013, estávamos noivos e decidimos antecipar as coisas.
Foi uma corrida contra o tempo!
Estava trabalhando em Cuiabá e Goiânia, ele viajando todo o Centro Oeste. Entrei em contato com o hotel que havíamos fechado o pacote, porém eles não ofereciam este tipo de serviço. Pesquisei, pedi ajuda a sites de casamentos que contavam histórias no Brasil, blogs… O único a me responder foi oNoiva BH. E Rose Quadros foi além, entrou em contato com o hotel no qual eu me hospedaria e me ajudou muito!

Aproximadamente 15 dias antes da viagem conseguimos retorno de um resort. Conseguimos acertar tudo faltando quase uma semana. Dia 21/08/12 chegamos em Punta Cana na hora do almoço. Dia lindo! Clima gostoso! Quente! Praia maravilhosa!! Tínhamos agendado uma reunião com a cerimonialista e agência de fotografia no dia 22/08 pela manhã (o casamento foi em outro hotel – acabamos hospedados em dois ao mesmo tempo…rs).

Meu vestido de noiva foi feito em Goiânia, roupa do noivo sem ser extraviada…rsrsrs. Tudo estava saindo além do planejado.
Reunião do dia 22 ok. Tudo organizado. Jantar especial (com direito a bolo!), suíte de primeira com pétalas de rosas no chão, champagne, morangos e chocolate… Vista maravilhosa! Agora só esperar para o grande dia: 23/08/12 – Dia do Nosso Casamento!
Ainda no dia 22, o clima fechou a tarde. Nos preparando para jantar vimos o noticiário na TV “Furacão Isaac se aproxima”. Eu custei acreditar. (Apesar de que quando fechamos a data das férias em abril, sabíamos que era período de furacões).
Era um noticiário atrás do outro. Mudávamos de canal e só se falava nisso. “… Isaac toma forças com águas quentes do caribe…”. Saíamos na sacada, olhávamos para o céu, e lá estava o céu cinza… Ventos quentes e fortes… E nada do sol. Olhei para o Fábio e falei “vai dar certo, amanhã vai ter sol no nosso casamento…”.

Chegou dia 23! Acordei otimista! Corri pra sacada… E lá estava o céu cinza. Completamente fechado. Liguei a TV, e o mesmo noticiário. Alguns turistas falavam que passeios programados para a Ilha Saona, e outros ao mar, haviam sido cancelados pela guarda costeira. A TV orientava como agir em meio as possíveis tormentas e ao furacão. Aquilo para mim era surreal.
Fomos para o hotel da cerimônia logo após o almoço… Chegamos a pegar uma chuva rápida. Eu não falava nada… Não queria desanimar o Fábio, e mostrar a minha insegurança. No fundo eu tinha certeza de que tudo daria certo no tempo certo, mas o presente mostrava o contrário.

Ao chegamos no PARADISUS PALM REAL (14:00h), a Bineysi falou que deveríamos antecipar o casamento (previsto para as 17:30) pois foram informados de uma tormenta. Fomos para o quarto nos arrumar… Fui preparar meu vestido, e por ter vindo na mala haviam marcas e eu não conseguia tirar com o aparelho a vapor… Olhava pela porta de vidro que levava à sacada do quarto e via os coqueiros balançando de um lado para o outro… Eu tinha que me arrumar rápido! Naquela hora chorei. Muito nervosa o Fábio se aproximou, me abraçou e disse: “Você se manteve calma o tempo todo… Sempre otimista… E isso me fez ficar calmo. Agora você vai ficar nervosa?”… “…Vamos, te ajudo.” Foi perfeito.

Ele saiu do quarto pronto, enquanto me maquiava. Pouco depois a Bineysi bateu na porta, quando abri ela disse “és um anjo!!”.
Foi interessante… Andando pelo hotel, com o vestido buquê, coroa de flores… Hóspedes de todo lugar do mundo sorriam pra mim. Em cada idioma eu entendia que queriam dizer “felicidades”, “parabéns”… “Deus abençoe vocês”… Aquilo me deu força! Aquela certeza de que não haveria a tormenta, que haveria sol do jeito que sonhávamos ficava mais forte no coração, mas meus olhos contemplavam um céu cinza e um vento ainda mais forte.

Fiquei esperando darem o sinal para entrar. Havia uma área semi coberta perto da piscina que ligava a praia. Caminhando sobre ela o céu ainda escuro… Já conseguia ver o Fábio longe… Numa tenda branca, com o ministro.
Quando coloquei o pé descalço na areia (ao som de “Para tu amor” – Juarez), o céu simplesmente se abriu! E um sol lindo iluminava nosso casamento. O sol só apareceu ali! Parecia mágica! Mas era divino! Fizemos as juras, consagramos nossa união… Recebemos um certificado da cerimônia simbólica, e brindamos ao som de “I do” – Colbie!

Depois da sessão de fotos, fomos para o nosso jantar. Um restaurante com uma culinária fantástica! Cortamos nosso pequeno bolo (o qual foi decorado com todo o carinho e particularidades). Muitos brindes! Vários “Parabéns!” “Sejam felizes!”… De pessoas que nos passavam uma energia boa… Inexplicável.

A caminho do quarto, mais um turista nos abordou (este não tirou foto…rs), foi extremamente gentil. “Não jogou o buquê?” disse sorrindo. Falei que não tivemos convidados, que a cerimônia foi simbólica, e que casaríamos posteriormente no Brasil. Era um senhor maduro, natural da República Dominicana, mas já residia há anos nos EUA, estava de férias. Ele se aproximou de nós e  falou sobre uma união… Sábios conselhos. Foi breve, mas suficiente para ser inesquecível . Questionei se estava sozinho, ele disse que estava com a esposa e filhas. Questionei a quanto tempo eles estavam casados, a resposta foi “mais de 20 anos”. Na hora perguntei em qual quarto ele estava hospedado. Peguei o número, e disse que mandaria entregar para ela o buquê como presente. Ele se emocionou, e muito romântico tentava relatar quais seriam as emoções dela ao receber.

Fui ao quarto, escrevi um bilhete de “bênçãos”, e caminhei à recepção para solicitar a entrega – isso já era tarde da noite, e ainda andava de vestido de noiva de um lado para o outro – de chinelo..rs… Um pouco mais tarde, dentro do resort, descemos para assistir a um espetáculo com fogos… Uma dança. E lá, tive oportunidade de conhecer a sra. Rodrigues que também assistia a apresentação.
Fomos ao bar, e desfrutamos da noite. Ventava muito… Mas a tormenta não foi forte. Nada que abalasse aquela região. Antes de voltarmos ao Brasil, conversando com um guia, ele nos contou que o Isaac havia passado à 150km da Ilha Saona, e que havia tocado o Haiti.

Foi um casamento simbólico. Quando decidimos realizar o casamento na República Dominicana nossos pais nos abençoaram… E as pessoas achavam inusitado! Depois, ao ver as fotos falaram “isso foi coisa de cinema!”.
Foi real… Lindo. A base de tudo foi e é o amor.

Vamos nos casar no Brasil… (Renovar Votos). Pode levar um tempo… Estou num novo trabalho… E precisamos economizar. Mas vamos fazer!

Obrigada pela pela ajuda recebida do blog e da Rose e também pela oportunidade de dividir com vocês este momento tão especial em minha vida!
Um forte abraço!
Elaina Calaça”

Compartilhe:

Escrito por: Rose Quadros
Topo