Noiva BH por Rose Quadros

Casamentos › Casamentos

Casamento civil - Relato de Juliana Alves

18/07/2013

Quem disse que casamento civil não é nada emocionante? Juliana Alves, noiva do Rose Quadros Cerimonial, me enviou um relato que prova exatamente o contrário. Eu não me canso de repetir para minhas clientes que TODOS os momentos do casamento devem ser comemorados: noivado, chá de panela, de lingerie, chá bar, casamento civil e religioso. Afinal, uma nova família está nascendo e isso deve ser celebrado quantas vezes for possível!

“Escrevo para compartilhar um dos momentos únicos em minha vida, para o qual muitas vezes não nos preparamos, o casamento civil. Como o tempo é preciosidade nos dias de hoje quis preparar tudo com antecedência e me casei no civil dois meses antes do religioso, providenciei os documentos e assim que transcorreram os 40 dias (prazo solicitado pelos cartórios de Belo Horizonte) tratei de agendar o casório. Fiz dessa forma porque queria estar tranquila para esse dia, ficava imaginando que ansiosa como sou se deixasse para a semana do casamento teria dois piripaques. Outro motivo é porque queria reunir meus pais, meus futuros sogros e as testemunhas, agendando o civil com antecedência foi mais fácil conciliar a agenda de todos.

Faltando três meses para o casório eu dei uma “surtada”. Foi aquele momento de olhar o check-list e ver o faltava, e muita coisa faltava! Algumas coisas começavam a me inquietar e me tirar o sono: será que todos vão? E se faltar comida? E se chover? E se aparecer uma espinha no meu nariz? Todas essas coisas passavam pela minha cabeça ao mesmo tempo! Apesar de muitas preocupações serem completamente infundadas elas continuavam perturbando essa senhora que vos fala. E não adiantava noivo ou amiga tentar convencer do contrário… foram tempos difíceis!

Enfim, estando prontos os papéis resolvemos marcar a data e “ficar livres desta obrigação”. Convocamos os pais, as testemunhas, e tivemos a ideia de convidar os nossos fotógrafos queridos, que já nos acompanhavam há alguns meses e se mostraram super solícitos em estar conosco nesse dia.

E lá fomos nós, na última sexta-feira de abril reunir a galera toda no cartório. Gente, eu não sabia que rolava tanta emoção naquele lugar. O cartório que eu conheci vazio, meio frio, com cara de departamento abandonado, estava cheio de casais apaixonados. Para muitas pessoas aquele é “O momento” do casamento! Após aguardar a vez da minha chamada, nos colocamos diante do juiz e haja emoção. O juiz fazia um discurso bonito sobre o amor, sobre a união e eu estava lá “perdida”, pensando: -meu Deus! Eu vou me casar, vou ser senhora. Foi aí que a ficha caiu. Eu não parava de olhar para o Fred, ficava encantada com a ideia de que finalmente seríamos marido e mulher! Foi um momento mágico! Quando olhei para trás nossos pais choravam rios, gente esse é um momento muito importante, planeje-o com carinho!

Após a “cerimônia” fomos almoçar em um café do edifício maleta. Brindamos, comemos, batemos foto, jogamos conversa fora…foi maravilhoso. Essa foi uma das experiências mais importantes da minha trajetória de noiva. Após esse dia constatei que a combinação de pessoas queridas, num local agradável, e com profissionais que você confia não tem como dar errado! Eu desencanei geral… “Se for como no civil vai dar tudo certo!” esse se tornou meu mantra. Muitas vezes ficamos perdidas neste mundo de novidades, de luxo, de fantasia que envolve o “evento casamento”, que nos esquecemos do que realmente é importante. Ter vivenciado um momento tão gostoso há dois meses da cerimônia religiosa me propiciou resgatar alguns valores que eu estava deixando de lado e lembrar que os protagonistas desta história éramos eu e o Fred.

Agradeço muito ao meu dileto Fred, papai e mamãe, meus sogros, meus amigos de longa data e meus amigos fotógrafos (Gustavo Xingú e Virgílio de Barros) por estarem comigo neste dia e me propiciarem este momento único.

Oficialmente Sr. & Sra. Viana Matos (O Fred também recebeu um dos meus sobrenomes)

 

Eu estava segurando o choro numa boa, até ver meu papai chorando. Aí foram só lágrimas de alegria”

Fotos de autoria do Estúdio Mangabeiras

Beijo grande,
Rose Quadros Cerimonial Belo Horizonte

Compartilhe:

Escrito por: Rose Quadros
Topo